Português tipo exportação

Pílulas da língua portuguesa (5): no século XVI, como outras línguas em outros tempos, o português, idioma de navegadores, influenciou a linguagem das terras por onde seus viajantes passaram

Foto: Seacoast Sage/Iso Republic

Texto publicado em 11/05/2020

      Guerras, descobertas ultramarinas e contato comercial, diplomático ou turístico, fazem com que as línguas afetem umas às outras.

A importância mercantil favorece uma posição mais exportadora na balança comercial das línguas. Foi assim com latim, francês e inglês – línguas francas em fases distintas da história. Foi assim com o português do século XVI.

Casta – No século XIII, “animal” e “linhagem de homens” (do gótico “kasts”, grupo animal). Portugueses aplicaram o termo às elites indianas, em 1516.

Catinga – Do guarani “kati” (cheiro pesado) e seu derivado ykatyngaí (fedor). No espanhol desde 1889, como cheiro desagradável de animal e planta.

Chamariz – Derivado de “chamar” (latim “clamare”), nomeava na Espanha de 1601 a ave menor que o canário, de cor verde e canto acelerado.

Cobra – Do latim vulgar “colobra”, clássico “colubra”, o termo português foi parar no castelhano e no inglês (para serpentes que inflam o pescoço). Correu mundo após os lusos batizarem, na Índia de 1496, a naja de “cobra de capelo” (cobra de capuz). Espanhóis usam “culebra” e ingleses, “snake”, para cobras comuns.

Crioulo – Criação lusa, foi a Espanha como criollo em 1590, nomeando o branco nascido nas colônias. Passou a ser o escravo nascido na casa do amo.

Lancha – No século XVI, era o bote grande para navegar próximo à costa. Surgiu em 1540 no português, que o tomou do malaio, com o sentido de “rápido”, “ágil”.

Ostra – Apesar de vir do latim “ostrĕa” (do grego “óstreon”), a palavra entrou na Espanha por via portuguesa. A forma castelhana antiga é “ostia” (de 1335, pelo jogo de palavras herege com “hóstia”). O desejo de inibir o sacrilégio generalizou a forma portuguesa na Espanha, não a castelhana.

Pagode – O português raptou o termo do dravídico भगवती , do deus Bhagavatī, ou Pagôdi. Como “pagoda” (ídolo oriental) ganhou registro em 1516. Foi incorporado ao espanhol entre 1765 e 1783.

Fontes: Sérgio Corrêa da Costa. Palavras sem fronteiras. Rio de Janeiro, Record, 2000. / Juan Corominas. Breve diccionario etimológico de la lengua castellana. Madrid, Editorial Gredos, 9ª. Reimpresión, 1998.

 

Cadastre-se para receber novidades por e-mail

Mantemos os seus dados privados e os compartilhamos apenas com terceiros que tornam este serviço possível.

Curtas

  • A valorização de experiências formativas nas áreas de educação infantil e alfabetização está entre os principais destaques da 10ª edição do Prêmio Professor Rubens Murillo Marques, concurso anual promovido pela Fundação Carlos Chagas desde 2011. Voltado aos professores formadores dos cursos de licenciatura e pedagogia, o prêmio está com inscrições abertas até dia 10 de agosto de 2020. A submissão de projetos é realizada on-line. Serão premiadas três iniciativas de formadores, sendo que uma delas, necessariamente, será de educação infantil e/ou alfabetização. Os autores premiados ganham R$ 20 mil, diploma, troféu (réplica de escultura da artista plástica Vera Lúcia Richter) e publicação de texto detalhando a experiência na Série Textos FCC. O edital e o regulamento do prêmio podem ser consultados on-line, assim como a página da iniciativa, que traz informações sobre os ganhadores de anos anteriores. Texto publicado em 08/05/2020

  • Enquanto o isolamento continua em voga, a solução é distrair-se com o que pode chegar à sua casa. É o caso dos livros que estão sendo distribuídos pela plataforma digital “Eu faço Cultura”, iniciativa normalmente também voltada à distribuição de ingressos para teatro e cinema que agora está com foco apenas na literatura. No total, são 16 títulos e 2.250 livros, que podem ser pedidos diretamente pelo site, com entrega gratuita para todo o país. Entre as obras, há desde o infantil O Humor é azul – O lado engraçado do autismo, do cartunista e caricaturista Rodrigo Tratamonte, até romances históricos. No caso de Tratamonte, ele próprio é portador da Síndrome de Asperger, autismo de grau leve. Lembrando que abril é o mês da conscientização do Autismo. Há outras opções infantis, infantojuvenis e com uma pegada mais adulta, como Chama e cinzas, de Carolina Nabuco (1890-1981), livro de 1947, da mesma autora de A sucessora, que retrata o universo das mulheres em meio à sociedade burguesa na primeira metade do século 20.   Em princípio, a distribuição de ingressos para cinema e teatro deve voltar a ocorrer no mês de maio, caso não seja necessário estender por mais tempo o isolamento social. Texto publicado em 13/04/2020

  • Nestes tempos de overdose de internet, uma boa saída é tentar dar mais utilidade às horas à frente do computador. Para isso, algumas instituições estão deixando à disposição dos usuários conteúdos gratuitos, tendo em mente a abertura de novas portas para depois do término ou amenização da crise. Os cursos curtos, em sua maioria de 10 e 20 horas, são a aposta da Unicesumar, instituição que há tempos aposta na EAD. Entre os 70 cursos disponíveis, há feijão e arroz (e algum tempero) sobre marketing, mas também alguns temas que podem ajudar o usuário a conhecer novos universos, ao menos de forma introdutória. Entre eles, destaque para os cursos sobre arbitragem e resolução de conflitos, Big Data Overview e o mais tradicional, porém sempre necessário no Brasil, de Planejamento e Produção. Veja a lista completa aqui  Texto publicado em 13/04/2020

Redes Socias